A importância da doação de órgãos

Imagina ter o poder de salvar vidas?

No Brasil a doação de órgãos e tecidos ainda é um tabu, e a quantidade de doadores é pequena diante da demanda de pacientes que aguardam por um transplante.

Cerca de 44% das famílias não aceitam doar os órgãos dos parentes falecidos. Muitas vezes é por preconceito gerado pela falta de informação.

Que tal repensar um pouco sobre isso?

É importante saber que todo paciente com morte encefálica pode ter os órgãos doados. Após o diagnóstico a família deve ser consultada e orientada sobre o processo de doação.

Os órgãos que podem ser doados por pessoas falecidas são córneas, rins, fígado, coração, pulmões, pâncreas e fêmur. Vale salientar também, que existem órgãos que podem ser doados ainda em vida. São eles: rim, parte do fígado, parte do pulmão e a medula óssea.

Como Faço pra ser doador?

Para ser doador de órgãos, basta comunicar a família o desejo da doação.

No caso, se desejar doar órgãos ainda em vida, como a medula óssea por exemplo, é necessário procurar um hemocentro, responder a um questionário e oferecer uma amostra de sangue. As informações vão para um registro nacional e o doador será notificado quando houver alguém compatível que precise do transplante.

No Comments Yet.

Leave a reply

× Plano LutoPax? Chame aqui.