Quando as nossas referências viram lembranças

Quando perdemos alguém que amamos e temos como referência, como nosso pai ou mãe, por exemplo, a nossa vida muda totalmente.

Enfrentar a orfandade não é uma tarefa fácil, ainda mais quando perdemos pessoas que nos passam o sentimento de proteção.

Ainda que seja algo que faz parte do ciclo natural da vida, encarar a morte de um ente querido é um processo de sofrimento muito intenso.

Para ajudar nesse processo, listamos três atitudes que podem auxiliar a amenizar a dor.

1 – Aceite seus sentimentos

Dê tempo ao tempo para a sua dor. É necessário encarar o luto como um processo, um ciclo. Ele pode durar bastante tempo – ou não. Busque cultivar as boas lembranças que restaram. Lembre-se, se seu pai ou mãe ainda pudessem falar com você, diriam para continuar levando a vida da melhor forma possível.

2 – Não tenha medo de pedir ajuda

Ficar sozinho nesse processo não é uma boa escolha. Procure a companhia de amigos e familiares que podem te ajudar. Muitos recorrem a religião, que também  se torna um bom espaço de refúgio. Se for o caso, busque auxílio de um profissional específico. Existem grupos especializados na superação do luto.

3 – Retorne à vida própria

Tente mudar a sua rotina, após conseguir retornar ao dia a dia. Inclua atividades diversificadas para preencher o tempo que você tinha com seu pai ou mãe. A ideia não é evitar essas lembranças, mas sim ressignificá-las. Assim você conseguirá superar essa fase de forma mais rápida.

No Comments Yet.

Leave a reply

× Plano LutoPax? Chame aqui.